27/03

 

É tempo de ficar em casa e aquela viagem tão sonhada vai ter que acontecer depois. Qual melhor forma de proceder em relação a voos marcados, hotéis reservados e pacotes completos de viagens? 

 

O setor de turismo em geral está com uma campanha para que o consumidor não cancele a sua viagem e sim adie para quando for possível. Então, veja algumas dicas de quem está enfrentando o problema de forma consciente para diminuir o impacto econômico para todos. 

 

1. Espere um pouco, se puder

A primeira dica é considerar a data de sua viagem antes de começar a agir. Se for entre abril e maio, não tem jeito, é hora de ver as remarcações possíveis.  Entre junho e julho, ainda dá para esperar um pouco e muitas empresas nem abriram alterações para esse período. E, para o segundo semestre, a expectativa é de que o cenário esteja normalizado. Aguarde um pouco.

2. Hotéis

Muitos estão fechados em respeito às regras de isolamento. Então, se der, remarque sua reserva, principalmente em pequenas pousadas e hotéis fora de grandes redes. Todos estão empenhados em resolver o problema, sem tarifas extras para mudanças de data e sem burocracia desnecessária. Entre em contato e apresente sua situação para chegar a um acordo bom para ambos os lados. 

3. Voos

Companhias aéreas têm oferecido opção de voucher no valor da reserva, troca de voos por tickets para datas a definir, remarcação sem valor extra em caso de diferença de tarifa. Isso vai depender de cada empresa. Prefira sempre a resolução online, diretamente nos sites das companhias. 

4. Viagens com milhas

Caso sua passagem tenha sido emitida com milhas, você deverá procurar o programa que utilizou para resgatar a passagem. As regras serão similares às definidas pelas companhias aéreas para quem tem uma passagem comprada com dinheiro. 

 

Seguindo estas dicas de acordo com suas possibilidades, as chances de tudo ficar bem mais rápido após a pandemia é maior!