18/03

Juazeiro, na Bahia, é um dos 507 municípios banhados pelas águas do Rio São Francisco ao atravessar cinco estados brasileiros. Lá, e por onde passa, ele é sinônimo de lazer, de beleza, de lendas, de desenvolvimento. Não dá para não se encantar com a força e a história que vêm deste rio, um dos mais importantes do Brasil e da América do Sul.

Uma de suas muitas histórias conta que, há muito tempo, havia uma linda menina em Juazeiro. Certo dia, ela permaneceu por horas olhando seu reflexo nas águas cristalinas do rio e acabou esquecendo da hora de voltar pra casa. Quando, ao cair da tarde, começaram as badaladas do sino da igreja, a menina se transformou em uma terrível serpente, e assim nasceu a Lenda da Serpente da Ilha do Fogo, que fica no meio rio entre Juazeiro e Petrolina, e é ponto para quem quiser nadar em suas águas.

Crenças à parte, sabe-se que o Velho Chico é uma grande fonte de energia, abrigando seis usinas hidroelétricas ao longo do seu percurso. É também, por causa da sua localização no semiárido nordestino, uma das poucas fontes de água potável para uma grande quantidade de pessoas. E, graças à irrigação com suas águas, a região de Juazeiro se transformou num grande polo de fruticultura, com exportação de manga e uva.

O Rio São Francisco é patrimônio brasileiro cantando em música, homenageado em filmes e alçado a atração turística nos lugares por onde passa – são 2.800 km de extensão, nascendo em Minas Gerais e seguindo para o Nordeste, onde desagua e forma a fronteira entre Alagoas e Sergipe. Em Juazeiro, vale fazer o passeio do Vapor do Vinho e navegar pelo Velho Chico para dar um mergulho em suas águas. Outra lenda diz que, quem faz isso, nunca esquece e sempre volta em busca do rio...